• Redação

Justiça manda bloquear contas de Pabllo Vittar e cantora se posiciona

A 11ª Vara Cível de Brasília ordenou o cumprimento de sentença que condenou a cantora Pabllo Vittar a pagar uma dívida relativa a compra de um imóvel em Uberlândia (MG). O caso está em debate desde 2018.


Em 9 de setembro, o juiz Ernane Fidelis Filho ordenou o bloqueio das contas bancárias ou fundos de investimento de titularidade de Pabllo. O valor da dívida, pelo que consta no processo, é de R$ 142.389,07, dinheiro que foi encontrado nas contas da artista.


Procurada pelo iG Queer, a assessoria da cantora informou que a artista não é citada no processo e que a defesa já tomou as devidas providências.

"A artista Pabllo Vittar nunca foi citada neste processo, tendo tomado ciência dessa demanda somente quando houve o bloqueio judicial de sua conta corrente.


Assim que tomou ciência da situação, a sua equipe jurídica tomou as devidas providencias e espera reverter essa decisão em breve, uma vez que houve completo cerceamento do direito ao devido processo legal, ampla defesa e contraditório. Trata-se de grande equívoco que espera seja revertido pela Justiça", escreveu o departamento jurídico da cantora.


No Twitter, Pabllo se pronunciou sobre o caso e alegou que páginas de fofoca só dão atenção ao seu nome quando noticiam fatos negativos sobre a cantora.


"Que engraçado, quando sai alguma notícia ruim sobre mim todos os portais de fofoca desse país soltam alguma nota falando e comentando, eu lanço algum, trabalho silêncio total! Vocês gostam é da desgraça alheia, vocês são nojentos! Sobre o caso, filhas, meus advogados estão resolvendo", escreveu a drag queen.


A cantora estreia sua nova turnê “I Am Pabllo” no Rio de Janeiro, nesta sexta-feira (16). O ingressos podem ser comprados pleo  Sympla.


*Ig Queer

Publicidade

Publicidade