Publicidade

  • Redação

Isadora Pompeo apoia Bruna Karla: “Nosso dever como cristão é se posicionar”


Neste domingo (19), a cantora Isadora Pompeo utilizou as redes sociais para defender o posicionamento de Bruna Karla sobre a questão LGBT+. A cantora cristã tem sido atacada por causa de uma declaração feita por ela no ano passado na qual afirmou que não cantaria no casamento de um amigo homossexual.


As declarações de Isadora foram feitas em seu Instagram, ao ser questionada sobre o episódio e sobre uma possível perseguição aos cristãos.

– Os maiores revolucionários foram os mais perseguidos. Jesus falou que, por causa dele, nós seríamos perseguidos (…). O nosso dever, como cristão, é se posicionar. É furar a bolha e falar a verdade sim – ressaltou.


SOBRE O CASO Em uma entrevista concedida por Bruna Karla ao podcast Positivamente, da apresentadora Karina Bacchi, em dezembro do ano passado, a cantora relatou uma conversa que teve com um amigo homossexual a quem disse que não poderia cantar no casamento dele em razão de sua fé.


– Fui bem sincera [com meu amigo] e disse: “Ah, quando você se casar com uma mulher linda e cheia do poder de Deus, eu vou sim” (…). O dia que eu aceitar cantar em um casamento com outro homem, eu posso parar de cantar sobre a Bíblia e sobre Jesus – afirmou.


Durante a tarde da última quinta-feira (16), o nome de Bruna foi aos assuntos mais comentados do Twitter, com acusações de homofobia. O ex-BBB Gil do Vigor foi um dos famosos que repercutiram, dizendo que a cantora foi preconceituosa.

– De fato, quando Jesus aparecer alguém irá se envergonhar e não é seu amigo gay, mas sim você por sua atitude preconceituosa! João 14 fala que Deus nos chama de amigos e a palavra amigo é forte demais para ser sustentada com base no preconceito e falta de amor ao próximo – postou.


Por outro lado, Bruna também recebeu o apoio de cristãos e de líderes religiosos. Ao Pleno.News, o pastor Silas Malafaia, da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC), defendeu a cantora e disse que é direito dela cantar onde quiser.


– Estamos em uma democracia, ela é livre pra cantar onde ela quer e não onde os outros determinam. Que país é esse? Que questões são essas? Você é livre pra ir pra vida, isso é princípio, constitucional, democrático. Liberdade da pessoa.


Qual é o problema? Ela tem o direito de querer cantar e não cantar – declarou o pastor.



Publicidade