• Redação

Ilumina+ Amazonas já implantou 50 mil pontos de iluminação pública de LED no interior

Programa já chegou a 22 municípios e 31 comunidades rurais e indígenas, beneficiando cerca de 1 milhão de amazonenses

O Ilumina+ Amazonas alcançou, nesta semana, a marca de 50 mil pontos de iluminação pública de LED implantados na sede de 22 municípios do interior e em 31 comunidades rurais e indígenas, beneficiando cerca de 1 milhão de amazonenses. Lançado em maio deste ano, o programa tem como meta alcançar 100% da área urbana de 27 municípios com a nova tecnologia, até o fim de 2022.

“O Ilumina+ tem levado dignidade para as pessoas, garante maior luminosidade, maior segurança, sem contar na economia de energia que o LED promove. A gente vai colocar iluminação de LED em todos os municípios do Amazonas e em todas as grandes comunidades", detalhou o governador Wilson Lima.

O programa de modernização da iluminação pública do interior é executado pela Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE) do Governo do Amazonas e tem o objetivo de substituir lâmpadas antigas de vapor de mercúrio, vapor de sódio, vapor metálico e mistas pelas modernas luminárias de LED, de maior eficiência energética (iluminam mais com menor consumo) e não prejudicam o meio ambiente.

Dos municípios contemplados, em 19 os serviços já estão concluídos: Tefé, Nhamundá, Parintins, Barreirinha, Boa Vista do Ramos, Autazes, Urucurituba, Itacoatiara, Rio Preto da Eva, Presidente Figueiredo, Humaitá, Boca do Acre, Novo Airão, São Gabriel da Cachoeira, Beruri, Tabatinga, Benjamin Constant, Carauari e Eirunepé.

Em Manacapuru, a execução se aproxima dos 60%. No município de São Paulo de Olivença, no Alto Solimões, os trabalhos devem ser concluídos na próxima semana. Já as cidades de Anori, Codajás e Apuí são as próximas a receberem a implantação das luminárias de LED.

Segundo o coordenador executivo da UGPE, engenheiro civil Marcellus Campêlo, as equipes técnicas estão finalizando a vistoria nessas três últimas cidades contempladas na primeira fase do programa.

“A previsão inicial é que sejam 1 mil pontos em Anori, 2 mil em Apuí e 1,5 mil pontos de iluminação pública para serem substituídos em Codajás. A partir da avaliação in loco do parque público de iluminação, as equipes já iniciam a mobilização e trâmites logísticos para início dos trabalhos nas próximas semanas”, contou.

Além da área urbana, o LED também chegou à zona rural e áreas indígenas de alguns municípios, tais como: comunidades Vila Amazônia, Zé Açu, Caburi e Mocambo, em Parintins; Sant’Ana, Santa Helena, Santa Etelvina e Igarapé-Açu, em São Sebastião do Uatumã; Novo Céu, em Autazes; Vila de Lindoia, Novo Remanso, Engenho, Jerusalém, Jacarezinho e Piquiá, em Itacoatiara; Distrito de Realidade e comunidade Cristolândia, em Humaitá.

Outras comunidades beneficiadas são Canoas, Nova Jerusalém, Novo Rumo, Rumo Certo, Marcos Freire e São Miguel, em Presidente Figueiredo, assim como Santo Antônio do Matupi e Maravilha, em Manicoré. Também receberam iluminação as comunidades Indígenas Belém do Solimões, Umariaçu I e Umariaçu II, em Tabatinga; e Feijoal e Filadélfia, em Benjamin Constant.

O Governo do Amazonas implantou luminárias de LED, por meio de convênio, em Alvarães e Atalaia do Norte. Maués já conta com iluminação pública 100% em LED desde 2019, quando foi implantado o Programa de Saneamento Integrado (Prosai) do município. O serviço executado em Maués serviu como piloto para o início do Ilumina+ Amazonas.

Vantagens do LED

Além de garantirem maior fluxo luminoso do que as lâmpadas convencionais, as luminárias de LED geram economia de até 60% no consumo de energia, têm maior durabilidade e não contêm metais tóxicos, como o mercúrio, prejudicial ao meio ambiente e às pessoas. Por demandar menos energia, contribuem também para a redução das emissões de carbono na atmosfera.

O LED garante ainda a redução dos custos de manutenção da iluminação pública para os municípios, uma vez que o tempo de vida útil das novas luminárias é dez vezes maior (dez anos) em relação às convencionais. Há também a garantia de cinco anos do equipamento direto com o fabricante. Com a economia proporcionada pela tecnologia LED, mais recursos podem ser investidos pelas prefeituras em outras áreas.

A identificação (emplaquetamento) e cadastramento de todos os pontos de iluminação pública integram uma das etapas do programa de modernização. A revisão proporciona ainda mais vantagens aos municípios beneficiados, uma vez que haverá a possibilidade de repactuação do valor pago pelas prefeituras à concessionária de energia elétrica, por meio da Cosip (Contribuição para Custeio do Serviço de Iluminação Pública).

Descarbonização

Estudos feitos em oito municípios do Amazonas – os primeiros que receberam o programa – mostraram a redução de 27% no consumo de energia, que no interior é gerada por termelétricas à base de combustíveis fósseis que emitem gás carbônico (CO2), causador do efeito estufa. Isso, em dez anos, vai significar a redução de 26,6 mil toneladas de CO2 na atmosfera.

A implantação de LED também contribui com a segurança pública e o impulsionando o turismo das cidades, além de ajudar a melhorar a qualidade de vida da população, que passa a adotar novos hábitos no período noturno, graças à luminosidade.


FOTOS: Antônio Lima, Arthur Castro, Tácio Melo e Divulgação/Secom

Publicidade

Publicidade