• Redação

Hostilizada na rua e derrotada nas urnas, Grazziotin diz que sua candidatura atenderá clamor popular



Manaus – Mais um nome que voltou para tentar se firmar no cenário político foi o da ex-senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB), que tentará uma vaga no Congresso Nacional nas eleições deste ano. Em entrevista para um portal local, a política afirmou que a decisão partiu de pedidos para que ela pudesse voltar a ser uma representante do Amazonas, apesar de não ter uma recepção calorosa dos manauaras.


Segundo Grazziotin, os pedidos foram importantes na tomada de decisão, uma vez que havia pensando muito antes de colocar o nome à disposição. Apesar de falar em muitos pedidos, Vanessa perdeu a última tentativa de continuar no Senado e recentemente foi hostilizada nas ruas de Manaus.


“Na realidade eu pensei muito antes de tomar essa decisão, de aceitar essa candidatura à deputada federal, mas em decorrência dos pleitos, debates e pedidos que a gente teve não só dos militantes do partido, mas de amigos, companheiros e dirigentes dos movimentos sociais, eu entendi que neste momento tão importante, tão crucial para o nosso país, para nossa gente e para o nosso Estado do Amazonas, não seria correto eu me retirar”, disse.


Apesar de afirmar que recebeu pedidos para voltar, a realidade de Vanessa nas ruas é outra. Durante uma ação no bairro Compensa, na zona Oeste de Manaus, a ex-senadora foi hostilizada, com os moradores pedindo até para que ela fosse embora do local.


Sob vaias e aos gritos de “fora, comunistas!”, os políticos foram obrigados a tentar amenizar a situação. As pessoas que estavam no local ainda ressaltaram que são apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, além de aparecerem com bandeiras do Brasil, em uma tentativa de intimidar a oposição.


Nas redes sociais, a ex-senadora afirmou que os manifestantes não vão calar a oposição. “Infelizmente meia dúzia de pessoas tentaram atrapalhar e tumultuar o tempo todo, mas não conseguiram!”, disse.


Vale lembrar que, nas eleições de 2018, a então senadora tentou defender o mandato, mas acabou ficando de fora. Ela disputou uma das duas vagas do Amazonas no Senado, mas obteve somente o quinto maior número de votos.


Amazonas 1

Publicidade

Publicidade