• Redação

Guarda municipal mata casal após briga por conta de som alto

O duplo homicídio ocorreu no bairro da Pedreira, na capital paraense. Guarda é apontado como o autor dos disparos

Uma tragédia entre vizinhos enlutou uma família na noite deste sábado (17) no bairro da Pedreira, em Belém, depois que um homem incomodado com o som alto na frente da casa do vizinho discutiu com ele e, em seguida, duas pessoas foram alvejadas e mortas no local.


O Centro Integrado de Operações foi acionado por volta das 23h30 por um morador da Passagem Doutel entre a Avenida Pedro Miranda e rua Antônio Everdosa, no bairro da Pedreira, comunicando que houve vários disparos de arma de fogo e pedia a presença de uma viatura da Polícia Militar.


Para atender a ocorrência foi designada a viatura 0117 ao comando do sargento Santana e após se inteirar dos fatos reportou ao Ciop que o guarda municipal de Belém identificado como Paulo Sérgio Moraes seria o autor dos disparos contra um casal que se encontrava agonizando no local.


Ainda no calor do desespero de familiares, amigos e vizinhos, foi apurado que a motivação fútil para o duplo homicídio seria por conta de uma perturbação de sossego alheio que já era contumaz no local e que ocasionava discussões entre as partes.


Imediatamente foram acionados guarnições da Guarda Municipal, Corpo de Bombeiros e Samu 192. Após a chegada dos paramédicos da Unidade de Saúde Avançada 204, foi constatado o óbito do casal diante dos graves ferimentos à bala que sofreram.


As vítimas foram identificadas como Marcos Vinicius Barbosa Brandão, de 37 anos, e Débora Lima da Assunção, de 35 anos. Foram acionados uma equipe da Divisão de Homicídios, perícia de local de crimes e remoção através da Polícia Científica do Pará.


O ambiente na passagem Doutel ficou tenso durante toda a noite. Pela madrugada houve um contato com o delegado de plantão na Homicídios dando conta que o guarda municipal Paulo Sérgio Moraes iria se apresentar, fato que não se concretizou.


No local do crime, além da consternação pela tragédia, alguns informes foram colhidos pelos policiais civis. Uma testemunha garante que ao chegar em casa o guarda municipal teria pedido para desligar o som, fato atendido em parte pela vítima que apenas diminui o volume o que teria irritado o agente que saia da casa armado e atirou várias vezes contra o casal.


Vizinhos garantem que a situação já vinha se arrastando há algum tempo e que evoluiu para a tragédia que deixou dois mortos e um agente da segurança pública indiciado por duplo homicídio e na condição de foragido.


Via - DOL

Edição Web - Felipe David

Publicidade

Publicidade