Publicidade

  • Redação

Governo do Estado inicia desapropriação na Comunidade da Sharp



O Governo do Estado inicia processo de desapropriação na Comunidade da Sharp, realizando o sonho de moradores da área. Sobretudo na atual administração, com a implantação do Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus e Interior (Prosamin+).


Há mais de 20 anos a Comunidade da Sharp, no bairro Armando Mendes, zona leste de Manaus, enfrenta problemas com alagação da área no período de chuva. Além do risco de desabamento das casas. O problema começa agora a ser resolvido pelo


Já na próxima semana, conforme anunciou em vídeo o governador Wilson Lima, neste domingo (17), começa o processo de desapropriação de 274 imóveis localizados na área da Comunidade da Sharp, para implantação do Prosamin+.

O processo está sendo realizado pela Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE) e pela Superintendência Estadual de Habitação (Suhab). Esses imóveis estão localizados na envoltória das primeiras frentes de obras do programa.

“É um sonho sendo realizado. As famílias vão poder sair daquela área para viver em moradias seguras e dignas”, destacou o coordenador executivo da UGPE, Marcellus Campêlo.

Conforme reunião realizada na última sexta-feira (15), para definir, junto com o superintendente da Suhab, Jivago Afonso Domingues, o cronograma de execução das ações de desapropriação.


Leia mais

Com fake news, Braga tenta se apropriar de Prosamin de Wilson


Cronograma

Nos dias 25 e 26 deste mês, as equipes dos dois órgãos estarão na comunidade, orientando as famílias sobre a documentação que devem apresentar nos mutirões que ocorrerão nos dias 27 e 28.


Os mutirões serão feitos dentro da Comunidade da Sharp, durante os quais serão abertos os processos de desapropriação dos imóveis que estão na envoltória das primeiras frentes de obras.


A UGPE já vem realizando, desde a semana passada, reuniões preparatórias da série “Conhecendo o Prosamin+”, na comunidade da Sharp.


As reuniões seguem a partir desta terça-feira (19), abrangendo também a comunidade Manaus 2000, no Japiim, zona sul, que também passará em breve pelo mesmo processo de desapropriação.


As desapropriações na comunidade da Sharp vão iniciar pela Frente de Obra 4, segundo Marcellus Campêlo. Essa frente de obra abrange a construção de uma ponte da avenida Autaz Mirim e da primeira quadra habitacional do programa naquela área.


As pessoas que possuem imóveis nesse local e que já foram cadastrados e certificados em etapas anteriores do programa, agora serão chamadas pela Suhab para entregar a documentação e iniciar o processo de desapropriação.


As desapropriações seguem modelo estabelecido no Plano Diretor de Reassentamento (PDR) do Prosamin +. O Plano indica as soluções de reposição de moradia e tipo de indenização, de acordo com a tipologia e uso do imóvel (residência, comercial ou institucional).


O programa, disse Marcellus Campêlo, está sendo cumprido dentro do cronograma e seguindo todas as fases legais pertinentes, procurando agilizar ao máximo todas as etapas.


“O próximo passo, agora, é o início das obras na Comunidade da Sharp”, afirmou, informando que, para isso, aguarda apenas a homologação do resultado da licitação. A comunidade Manaus 2000 já tem licitação fechada.


Além das ações nas duas comunidades, o novo Prosamin+ já tem um residencial sendo construído na avenida General Rodrigo Otávio e outro aguardando ordem de serviço para ser iniciado, na Cachoeirinha.


Foto: Divulgação




*BNC Amazonas

Publicidade