• Redação

Gloria Perez diz ver indícios de que filha foi morta em ritual



A autora Gloria Perez, mãe de Daniella Perez, atriz assassinada em 1992 e cuja história está sendo contada na série Pacto Brutal, da HBO Max, disse ver indícios de que a filha teria sido morta em um ritual.


O relato de Gloria foi feito em uma entrevista concedida à jornalista Márcia Piovesan no último dia 19 de julho.

Ao ser questionada pela jornalista sobre se existia algum fundamento na possibilidade de que a morte de Daniella teria acontecido em um possível ritual macabro, Gloria falou que existem “indícios que são muito fortes” sobre o caráter ritualístico do assassinato de sua filha.


– Ela [Daniella] foi encontrada debaixo de uma árvore e dentro de um círculo previamente queimado. A queima, segundo o laudo da perícia, teria sido feita há uns 10 ou 15 dias [antes do crime]. Dentro da casa deles [Guilherme de Pádua e Paula Thomaz] foi encontrada uma imagem – disse Gloria.


Gloria também disse crer que “havia um pacto claríssimo” entre o ator Guilherme de Pádua e a esposa dele na época, Paula Thomaz, que seria ilustrado com, por exemplo, tatuagens feitas nos órgãos genitais. O casal foi condenado em 1997 pela morte de Daniella.


– Havia um pacto claríssimo entre os dois. Eles fizeram tatuagens estranhas nos órgãos genitais dez dias antes do crime. O pacto entre eles era muito claro. Depois que acontece o assassinato, você vê a força da união entre os dois, o pacto era muito claro – afirmou.


A hipótese de que a morte teria ocorrido em um ritual foi levantada na época do crime a partir de relatos feitos por artistas e por convicções obtidas a partir do próprio trabalho de investigação.


– O uso do punhal é muito comum nesse tipo de ritual e, para seus adeptos, o coração é a sede da alma. O coração foi a região mais golpeada no corpo da vítima – disse o legista Talvane de Moraes, à época do crime, para o jornal O Globo.


No entanto, apesar dos indícios, a tese que prevaleceu em juízo foi de que Guilherme assediava Daniella para que pudesse obter mais destaque na novela De Corpo e Alma, que foi escrita por Gloria. Daniella morreu em 28 de dezembro de 1992, quando tinha 22 anos. Guilherme e Paula foram condenados em 1997, mas deixaram a prisão em 1999 após receberem liberdade condicional.


*Pleno News

Publicidade

Publicidade