• Redação

“Estrangulador do Nova Esperança” é preso em Curitiba e afirma ter matado Silvane


Manaus – Policiais Civis da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), e da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), do Paraná deflagraram uma ação conjunta policial, na última segunda-feira (24), e prenderam Antônio Marcos de Araújo Costa, 31, conhecido como “Estrangulador do Nova Esperança”. A prisão ocorreu em Curitiba, Paraná.


O homem é suspeito de estrangular, até a morte, Silvane dos Santos Costa, 25. O crime ocorreu no dia 11 de outubro, quando a jovem foi encontrada sem vida, em seu apartamento, no bairro Nova Esperança, zona Oeste da capital amazonense.


Na manhã desta terça-feira (25), as autoridades policiais realizaram uma coletiva com os veículos de imprensa para falar sobre as investigações e como foi feita a prisão de Antônio.


De acordo com o delegado Ricardo Cunha, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), o suspeito morava no mesmo prédio em que a vítima morava. “Trata-se de um vizinho, uma pessoa que morava no mesmo prédio que a Silvane. O prédio tem apenas três andares, nove unidades habitacionais e ele residia em um desses apartamentos com os seus familiares”, informou Cunha.


A guarnição também esclarece que a jovem foi vista pela última vez no dia 10 de outubro, um dia antes de ser encontrada sem vida.


“No dia do crime, ele por oito vezes espreitou essa vítima, quando ela saía de casa, quando ela retornava, quando ela chegava na companhia de algum amigo, quando ela se deslocou para o salão de beleza, que ficava próximo à residência dela, em todas essas vezes ele estava na varanda da sua casa observando. Quando foi por volta do dia 10, às 16h, foi a última vez que a vítima foi vista. Ela estava retornando de um salão de beleza, sugere-se que naquele momento ele a atacou, como não existem câmeras de segurança nesse prédio, não podemos falar com maiores propriedades”, ressaltou o delegado.

O titular da especializada frisa ainda que as investigações estão em andamento, visto que o homem ainda se encontra na cidade de Curitiba. O mesmo teria dito aos investigadores que por ser casado, vivia em um relacionamento com a moça e que a matou por desespero. Para as autoridades, a versão contada seria uma fantasia.


“Não se sabe em que circunstâncias ela entrou no apartamento, ele ainda falta ser interrogado, ele ainda está no Paraná, ainda não conseguimos fazer o seu interrogatório, mas em entrevistas com os investigadores ele já assumiu esse delito e apresentou uma versão que a polícia considera fantasiosa, ele disse que já tinha um caso com a Silvane, que tinham um relacionamento extraconjugal, ele é casado, e que a Silvane disse que iria falar para a esposa dele”, esclareceu Ricardo Cunha.

A qualquer momento mais atualizações sobre o caso.

Publicidade

Publicidade