top of page

Publicidade

950x250-1 - banner samel.png
  • Redação

Empresas custearão viagens para abortos nos EUA




Na última sexta-feira (24), a Suprema Corte dos Estados Unidos derrubou, por seis votos a três, a regra que liberava o direito ao aborto legal no país.


A medida reverte a histórica decisão Roe versus Wade, de 1973, e determina que, a partir de agora, não há mais um direito constitucional federal ao aborto no território norte-americano.


Após a decisão, empresas como Netflix, Paramount, Disney, Warner Bros., Discovery, Sony e Meta anunciaram que irão custear viagens de funcionários que desejem realizar abortos nos Estados Unidos, segundo o site Omelete.


De acordo com a revista Variety, as companhias disseram que querem manter o acesso aos cuidados necessários para seus funcionários.


Depois da decisão que derrubou o acesso ao chamado aborto legal, 13 estados americanos se posicionaram em direção ao banimento e pelo menos nove pretendem criminalizar o aborto.


Por meio de um e-mail enviado ao site da NBC, o porta-voz da Meta, Andy Stone, falou sobre a iniciativa da empresa.

– Pretendemos oferecer reembolsos de despesas de viagem, na medida permitida por lei, para funcionários que precisarão deles para acessar serviços de saúde e reprodutivos de fora do estado.


Estamos no processo de avaliar a melhor forma de fazê-lo, dadas as complexidades envolvidas – apontou.


Uma lista divulgada pelo jornal O Globo mostra algumas empresas que acenaram ajuda para funcionários que queiram abortar. Entre elas estão Warner Bros, Condé Nast, BuzzFeed, Amazon, Goldman Sachs, Snap, Macy’s, Intuit, Dick’s Sporting Goods, Starbucks, Tesla, Yelp, Airbnb, Netflix, J.P. Morgan, Lyft, Google, Microsoft, Paramount, Citigroup.


Pleno News

Publicidade

950x250-1 - banner samel.png
bottom of page