top of page

Publicidade

950x250-1 - banner samel.png
  • Redação

Coronel do Exército é um dos demitidos no escândalo sexual na Caixa




Um coronel da reserva do Exército está na lista dos auxiliares de Pedro Guimarães, ex-presidente da Caixa investigado por assédio sexual, que foram afastados do banco.


O coronel Edno Martins da Silva Leão se recusou, na segunda-feira (4), a responder se havia presenciado alguma atitude suspeita do chefe.


“Foi uma saída que eu já esperava, entendeu? Não tem problema nenhum”, disse o militar à coluna. Questionado se já havia visto algum comportamento suspeito do então presidente da Caixa, denunciado por assédio sexual por funcionárias da estatal, o coronel não respondeu.


“Não vou te falar nada por telefone nem pessoalmente. O que está acontecendo é uma exploração midiática fora do normal”, disse Edno Martins, encerrando a conversa.


O militar passou à reserva do Exército em 2013. Em 2019, no início do governo Bolsonaro, despachou na Secretaria de Assuntos Estratégicos, no Palácio do Planalto.


Na segunda-feira (4), a nova presidente da Caixa, Daniella Marques, disse em entrevista à GloboNews ter afastado ao menos seis pessoas ligadas a Pedro Guimarães, a exemplo de cinco consultores e a chefe de gabinete, sem detalhar os nomes.


Marques tomará posse no comando do banco nesta terça-feira (5). “Inaceitável que haja indício de assédio sexual”, afirmou.


Na semana passada, a coluna de Rodrigo Rangel mostrou que cinco funcionárias denunciaram o então presidente da Caixa, Pedro Guimarães, por assédio sexual.


O Ministério Público Federal, o Tribunal de Contas da União e o Ministério Público do Trabalho abriram investigações sobre o caso.


Leia mais na coluna de Guilherme Amado no Metropoles





Leia mais

‘Vou estuprar todos’, do presidente da Caixa a servidores do governo

Presidente da Caixa é investigado por assédio sexual




Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Publicidade

950x250-1 - banner samel.png
bottom of page