• Redação

Chuvas em Pernambuco já deixaram 44 mortos e 56 desaparecidos, diz governo


Até a manhã deste domingo (29), as chuvas em Pernambuco já causaram 44 mortes e deixaram 56 desaparecidos, 25 feridos, 3.957 desabrigados e 533 desalojados. Os números foram divulgados em coletiva de imprensa do Ministério do Desenvolvimento Regional. Segundo avaliação da pasta, essa é uma quantidade "muito significativa" de mortes.


O volume de chuvas passou de 200 milímetros em vários municípios. "Embora tenha parado de chover agora, estamos com chuvas fortes previstas para os próximos dias. A primeira coisa é manter as medidas de alta proteção, respeitar os alertas das prefeituras locais e divulgar que você pode mandar um SMS para o número 40199 e colocar o CEP da sua residência que você recebe recomendações da Defesa Civil regionalizadas, inclusive sobre a necessidade de deixar sua moradia", informou o ministro do Desenvolvimento Regional, Daniel de Oliveira Duarte Ferreira.


O chefe da pasta também disse que desde abril há reuniões preparatórias com os órgãos estaduais e o governo federal. "A gente já previa chuvas fortes aqui, então, não fosse esse trabalho, a tragédia teria sido maior", afirmou.

Sobre recursos, a liberação de verbas do governo federal é feita em três etapas.

"A primeira é socorro e assistência humanitária, que é o que a gente vai fazer agora. Vencida essa parte, os municípios vão elaborar um plano de trabalho para a gente fazer liberação para restabelecimento de serviços essenciais. Depois disso, passadas as chuvas, os municípios e estados têm até 90 dias para solicitarem recursos para reconstrução de infraestruturas públicas e casas que tenham sido destruídas", detalhou Daniel de Oliveira.


Na coletiva, também foi informado que, quando reconhecida a situação de emergência ou calamidade junto à Defesa Civil, o FGTS poderá ser movimentado na conta vinculada da população atingida pelos desastres.

Quatro ministros estão em Pernambucopara avaliar os danos causados pelas chuvas no estado e anunciar medidas de apoio e liberação de recursos. Além de Daniel Ferreira (Desenvolvimento Regional), Marcelo Queiroga (Saúde), Carlos Brito (Turismo) e Ronaldo Bento (Cidadania) acompanham a tragédia.


Fortes chuvas atingiram Pernambuco nos últimos dias. Elas devem continuar com intensidade forte na região metropolitana do Recife neste domingo, segundo a Apac (Agência Pernambucana de Águas e Clima). Neste sábado (28), o alerta máximo de chuvas por um período de 24 horas foi renovado.


Outras regiões do estado, como Mata Norte, Agreste e Mata Sul, também poderão receber grande quantidade de chuva. De acordo com a Defesa Civil, há 335 desalojados — que tiveram de deixar suas casas e se abrigar em casas de parentes e amigos — e 1.026 desabrigados no estado. As mortes registradas aconteceram no Recife, Jaboatão dos Guararapes, Olinda e Camaragibe, cidades que integram a região metropolitana da capital.


Neste sábado, mais de 1.200 bombeiros, profissionais da Defesa Civil, Polícia Militar e Assistência Social trabalharam nas buscas e no atendimento às vítimas. O governo do estado está utilizando três helicópteros da Secretaria de Defesa Social, embarcações e veículos pesados nos trabalhos de resgate.


R7

Publicidade

Publicidade