Publicidade

  • Redação

Após 2 anos, mulher acorda do coma e acusa irmão de agressão


Um caso que aparentava não ter solução foi decifrado de uma hora para a outra, após a vítima despertar do coma dois anos depois de ser brutalmente espancada. Ao recuperar a consciência, a moradora da Virgínia Ocidental, nos Estados Unidos, Wanda Palmer, de 51 anos, contou aos policiais quem era o agressor: trata-se de seu irmão mais velho, Daniel Palmer, de 55 anos.


De acordo com informações do Metro News, o ataque aconteceu em junho de 2020. O xerife do condado de Jackson, Ross Mellenger, relatou que sua equipe atendeu uma ocorrência em uma casa da região, em que a vítima havia sido agredida com um objeto cortante, semelhante a um facão ou um machado. Os golpes foram desferidos na cabeça de Wanda, deixando-a com danos cerebrais.


– Quando chegamos lá, para ser honesto, pensamos que ela estava morta (…). Tínhamos uma pequena ideia do que aconteceu, mas o problema era com as porcas e parafusos do caso, não tínhamos nada para continuar. Não havia testemunhas oculares, ninguém morava na casa, nenhuma filmagem de vigilância, nenhum registro de celular. Não havia praticamente nada para seguir em frente – explicou Mellenger.


Um telefonema inesperado nesta semana, contudo, mudou o rumo do caso. Os investigadores foram contatados pela casa de repouso onde Wanda se encontrava, informando que a vítima havia despertado do coma e que tinha condições de identificar seu agressor.


– As chaves de tudo estavam com a própria vítima e, com ela incapaz de se comunicar, ficamos sem nada. Agora, eis que dois anos depois e, boom, ela está acordada e capaz de nos dizer exatamente o que aconteceu – observou o xerife.

O irmão de Wanda acabou preso nesta sexta-feira (15). Ele responderá por tentativa de homicídio e ferimento malicioso.

*Pleno News

Publicidade