Publicidade

  • Redação

Amazonino Mendes já vê o efeito negativo da velha política em seu palanque


Por: Moisés Dutra (Editor-Chefe)


O candidato Amazonino Mendes (Cidadania), tinha tudo para decolar, porém começou a desgastar a própria imagem ao trazer para seu palanque velhos conhecidos da política local no evento que lançou sua pré-candidatura no último dia 10 de maio.


Em palanque por exemplo, estavam José Melo (PROS), ex-governador cassado por corrupção em seu governo, o ex-prefeito e pré-candidato ao senado Arthur Virgílio (PSDB), que saiu com baixíssima popularidade da prefeitura de Manaus e sua esposa e presidente do PSDB mulher Elisabeth Valeiko que enfrentou duras críticas da opinião pública após episódio envolvendo o filho no assassinato do Engenheiro Flávio Rodrigues. O deputado estadual Wilker Barreto (Cidadania), que foi vice na chapa de Amazonino em 2020, quando concorreu a prefeitura e críticos políticos atribuem a derrota de Amazonino para David Almeida, por esta composição com Wilker, que é considerado antipático no meio político e contribuiu negativamente para campanha do "Negão" a prefeitura de Manaus.


Outra aposta errada de Amazonino e o que tem feito ele perder pontos nas pesquisas é a insistência do veterano na política amazonense em querer na sua chapa, o ex-deputado Humberto Michilles que virou praticamente um desconhecido político da massa e que não agrega nada a campanha.


RECUO


O jovem vereador Amom Mandel (Cidadania), ao chegar no evento de lançamento da pré-candidatura de Amazonino, ficou visivelmente constrangido ao ver toda a escola da velha política em um palanque só e não subiu nesse palanque. Em entrevista a veículos que cobriam o evento, chegou a criticar o que chamou de "velha política". O desconforto de Amom foi tão grande que a apoiadores próximos ele disse que prefere manter distância de Amazonino e fazer uma campanha independente a fim de não arranhar a imagem que construiu nos primeiros anos de mandato como vereador.


QUEDA


A pesquisa do Instituto Pontual, divulgada nesta quinta-feira, 26, mostra o ex-governador do Estado, Amazonino Mendes (Cidadania) com 28,9% das intenções de votos, seguido do atual governador do Amazonas, Wilson Lima (UB), com 23,3% da preferência do eleitorado. Wilson Lima subiu 2,4 pontos percentuais e Amazonino desceu 1,6% de março para maio deste ano.


A queda em pontos, segundo especialistas em campanhas políticas é um claro efeito das alianças feitas por Amazonino.


ASCENSÃO


O destaque, fica com Wilson Lima (União Brasil), que aparecia atrás de Eduardo Braga nas outras pesquisas, subiu consideravelmente e agora chega perto de Amazonino. O efeito da subida de posição de WIlson, deve-se a exposição ao lado do prefeito David Almeida que tem um dos melhores índices de popularidade de um prefeito da capital amazonense dos últimos 20 anos. A ação conjunta entre a prefeitura e o governo do Estado, fez com que Wilson Lima melhorasse sua performance em Manaus, onde o político estava fraco.


As próximas pesquisas mostraram a tendência do eleitorado. Porém, tudo indica que Amazonino possa cair ainda mais. Cada mexida errada no tabuleiro, tem reflexo no desempenho dos pré-candidatos. Vamos ver como o eleitorado se comporta. Muita água ainda vai passar por debaixo dessa ponte até a eleição.

Publicidade